Uma receita para o bem-estar:

ingredientes ativos para prevenir e enfrentar a depressão e a ansiedade entre jovens

Em setembro de 2020 a ASEC Brasil foi convidada pela Wellcome Trust – uma entidade filantrópica global – para ser parceira na execução do projeto “Active Ingredient”, realizado entre setembro de 2020 a janeiro de 2021. O termo ingredientes ativos é uma analogia ao “preparo de uma receita”. Quando vamos cozinhar temos ingredientes fundamentais para o preparo daquela receita e cada prato é único já que temos nosso gosto pessoal, questões culturais e disponibilidade dos ingredientes. A entidade filantrópica entendeu que isso também se relaciona com a depressão e a ansiedade. Dessa forma, a Wellcome Trust, em conjunto com parceiros, pesquisadores e jovens, criou uma lista com 26 ingredientes ativos que pudessem ajudar jovens de 14 a 24 anos com depressão e ansiedade

Pesquisadores do mundo todo participaram da validação dos ingredientes para que fizessem sentido ao cotidiano dos jovens. Foram reunidos 120 jovens de 14 a 24 anos, como pré-requisito de terem alguma experiência com os diagnósticos de depressão ou de ansiedade, e 63 profissionais de diferentes disciplinas (incluindo pesquisadores, médicos e formuladores de políticas) de oito organizações em todo o mundo para ouvir suas opiniões sobre os ingredientes ativos.

A equipe do projeto foi liderada pela Child Outcomes Research Consortium [Consórcio de Pesquisa sobre Desfechos Infantis] (CORC), Universidade de Leicester e Euro Youth Mental Health [Grupo Europeu de Saúde Mental da Juventude] (EYMH)

Em conjunto com parceiros de diversos países: FANET (Quênia), Kids Haven (África do Sul), FRAME (Índia), Fundação Hussaini (Paquistão), Fundação Hayat (Turquia), FPCEUP (Portugal) e Hearts and Minds (Reino Unido).

Representação brasileira pela ASEC Brasil | Movimento Saber Lidar

Vivian Santiago é uma jovem de 24 anos, graduanda em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), apaixonada pela causa de ajuda humanitária e membra do Comitê Jovem da ASEC Brasil.

Para Vivian, que liderou grupos focais e participou de diferentes fases da pesquisa, essa foi uma oportunidade única. Ela mostra que aquilo que ela aprendeu com o projeto abriu portas: “Foi muito importante para adquirir mais conhecimento acerca do assunto de saúde mental em um aspecto global, tive uma exposição internacional, ganhei total autonomia na condução desse projeto e a confiança de toda a equipe ASEC Brasil”. Ela conta que também adquiriu soft skills que a acompanharão em toda a sua trajetória: “Pude aprender mais sobre gestão de projetos, como conduzir reuniões, dar feedbacks”.

Vivian mostrando seu ingrediente ativo favorito

Isabella Valério, de 16 anos, também membra do Comitê Jovem da ASEC, foi uma das “Peer Advisors” (conselheira jovem). Os “Peer Advisors” eram os representantes jovens de seu país.

Para Isabella, o projeto foi extremamente enriquecedor e ela deseja que os materiais sejam acessados pelo máximo de pessoas possível: “Este projeto é crucial para os jovens da atualidade. Temos que mostrar que estamos todos unidos pela mesma causa, a conversa sobre saúde mental. Espero que todo esse material seja acessado por muitos jovens com sede de autoconhecimento e jovens que se sentem perdidos, e que assim consigam entender a importância desses recursos para lidar com os nossos sentimentos.”

Isa mostrando seu ingrediente ativo favorito

Os jovens em foco

Uma das principais preocupações de todos que estavam envolvidos no projeto era trazer a voz dos jovens para o foco. Por isso, além de envolver os jovens nas discussões e entrevistas, também houve colaboração com jovens pesquisadores e assessores, que orientaram durante o projeto. Incluir jovens em locais de tomada de decisão sobre suas próprias realidades foi algo que fortaleceu suas vozes, deixando-os confortáveis e confiantes.

Conteúdo acessível

De modo geral, os 26 ingredientes ativos foram bem aceitos pelos jovens e profissionais. O que mostra que eles perceberam os ingredientes como úteis na prevenção e enfrentamento da depressão e da ansiedade. Em unanimidade os jovens quiseram que os termos usados para a descrição dos ingredientes fossem objetivos e acessíveis para todos. Com isso, 3 ingredientes ativos iniciais foram cortados da lista por não serem de fácil entendimento (por exemplo: “Melhor funcionamento do microbioma intestinal”). Alguns também foram retirados da lista, pois se perdiam na tradução. Como foi o caso de “perfeccionismo” e “autocompaixão”.

Novos ingredientes ativos

Jovens e profissionais adicionaram novos ingredientes a essa receita, principalmente relacionados ao papel da família, da escola, da comunidade e da sociedade. Alguns dos novos ingredientes são:

· Sentir-se compreendido e aceito pela família e pelos amigos

· Reservar um tempo para aprender e compreender a si mesmo

· Conscientizar-se e informar-se sobre a depressão e a ansiedade

· Relacionamentos com a família

· Praticar crenças religiosas ou espirituais

Por se tratar de uma lista global de ingredientes ativos, será importante adaptá-las a cada jovem, permitindo liberdade na escolha daqueles que funcionam melhor para cada realidade. Cada jovem deve decidir qual ingrediente ativo usar. Sendo recomendado também haver uma educação entre pares em escolas e comunidades, multiplicando os aprendizados de jovem para jovem.

Ei, o que você acha de reservar um tempo em seu dia para pensar sobre quais são os SEUS “ingredientes ativos”?

 

Links e informações úteis:

Se você deseja saber mais sobre o projeto, acesse o site
Acompanhe também no twitter: @CORCcentral, @EuroYouthMH, @pv11Panos, @NeuroFlorence
E no Instagram: @euroyouthmentalhealth